Evento

Agronegócio e Direitos Humanos


detalhes do evento


A Diretiva Europeia e o projeto de lei belga sobre o dever de diligência testado pelo caso da empresa SIAT

Evento híbrido - INSCRIÇÃO NECESSÁRIA AQUI

Idiomas: Inglês francês
Onde: Entraide et Fraternité, 32 Rue du Gouvernement Provisoire, 1000 Bruxelas (Metro Madou) – Será servido almoço
Os participantes online inscritos receberão um link do Zoom antes da data do evento
Quando: 14 de junho, das 10h às 12h CEST

PANFLETOS: Inglês / Francês

CAIXAS DE SOM

  • Gladys Omorefe Osaghae, ex-líder comunitário, membro da Associação Integrada de Agricultores de Arroz da Nigéria (IRFAN), Nigéria
  • Rita Uwaka, Coordenador do Programa de Florestas e Biodiversidade, Amigos da Terra-África, Nigéria
  • Sinan Ouattara Issifou, Presidente da Aliança para o Desenvolvimento Sustentável e o Meio Ambiente (Alliance pour le développement durável et l'environnement – ​​ADDE) Porta-voz do Rei de Andoh, Costa do Marfim
  • Daleba Nahounou Pierre Lautti, Coordenador de Justiça Social, Jeunes Volontaires pour l'environnement (JVE), Costa do Marfim
  • Sabedoria Koffi Adjawlo, Diretor Executivo, Jovens Voluntários para o Meio Ambiente, Gana
  • Giuseppe Cioffo, Diretor de Regulação Corporativa, CIDSE, Bélgica
  • simon rix, Advocacia, SolSoc, Bélgica

INFORMAÇÃO DE FUNDO

SIAT (Société d'investissement pour l'agriculture tropicale) é uma empresa belga especializada no cultivo de seringueiras para a produção de borracha e dendê. Com subsidiárias em cinco países africanos e asiáticos, uma matriz com sede em Zaventem, Bélgica, e clientes conhecidos como Nestlé, Unilever, Michelin e Continental, os impactos da empresa parecem semelhantes em Gana, Nigéria e Costa do Marfim. As comunidades acusam o SIAT de apropriação de terras, violação de seus direitos, criminalização de comunidades afetadas, degradação ambiental e ameaças à soberania alimentar de pessoas que dependem da terra para sua sobrevivência.

Em fevereiro passado, a Comissão Européia publicou sua proposta de Diretiva de due diligence sobre a responsabilidade corporativa pelos direitos humanos e o meio ambiente. No nível belga, uma proposta de lei sobre o dever de cuidado das empresas está na mesa do Parlamento. Essas iniciativas para regular os atores privados em relação ao seu impacto nos direitos humanos e no meio ambiente são iguais aos desafios no terreno?

 

  Este evento é co-fundado pela União Europeia.  Os conteúdos são da exclusiva responsabilidade dos organizadores e dos oradores e não podem de forma alguma ser considerados como reflexo das opiniões da União Europeia. 

Compartilhe esse conteúdo nas mídias sociais