Por uma Europa que cuida de todos - durante a pandemia COVID-19 e além - CIDSE

Por uma Europa que cuida de todos - durante a pandemia do COVID-19 e além

DEMOCRACIA - INCLUSÃO - JUSTIÇA - SOLIDARIEDADE - SUSTENTABILIDADE

A pandemia do COVID-19 está demonstrando muito bem que sociedades desiguais andam de mãos dadas com o sofrimento humano, economias frágeis e democracias delicadas. A solidariedade deve ser a base da resposta da Europa a esta crise: combater a pandemia e proteger todas as pessoas gerenciar as conseqüências sociais e econômicas e defender a democracia. A solidariedade vai além das fronteiras e não deve se limitar aos países da União Europeia.

Isso é mais do que uma crise de saúde pública; é uma crise de sistemas. Como a crise climática, e as muitas outras crises que enfrentamos, afeta a todos, mas atinge alguns mais do que outros. A pandemia do COVID-19 amplia as desigualdades em nossas sociedades. A desigualdade já era um problema global, mas agora corre o risco de crescer para proporções irreversíveis. Além dos milhões de trabalhadores que perderam seus empregos e renda, os mais afetados incluem migrantes nas fronteiras, trabalhadores precários, pessoas sem documentos, famílias de baixa renda, sem-teto, idosos, mulheres e pessoas com deficiência ou doenças crônicas - incluindo muitos minorias raciais e étnicas. Os profissionais de saúde e outros profissionais de serviços essenciais estão na linha de frente. Estamos testemunhando o valor social e econômico fundamental do trabalho assistencial e dos serviços básicos, trabalho que é predominantemente realizado por mulheres e é frequentemente ignorado, subvalorizado e sempre mal remunerado.

Nós, atores abaixo assinados da sociedade civil europeia, estamos comprometidos em trabalhar juntos em direção a uma visão compartilhada do futuro da Europa, baseada em uma sociedade socialmente justa, feminista, sustentável, democrática e inclusiva. Neste momento de crise, estamos prontos, em solidariedade, a agir juntos.

Reconhecemos que, juntamente com organizações internacionais, ONGs e governos, a União Europeia tentou responder a esta emergência. No entanto, pode e deve ir além. Convidamos as instituições europeias e os governos dos Estados-Membros a aproveitarem esse momento para trabalhar em direção a mudanças fundamentais em nossos sistemas sociais, econômicos e políticos. Estamos prontos para apoiar a transição para longe do atual modelo social e econômico, que gera desigualdade e destruição ambiental e nos deixa despreparados quando as crises ocorrem. Exortamos os tomadores de decisão europeus a se unirem, além das fronteiras, para mostrar a visão e a coragem de colocar a Europa no caminho de um futuro sustentável; um futuro de democracias resilientes baseadas na dignidade humana, liberdade, democracia, igualdade, direitos humanos e Estado de Direito.

A Europa deve demonstrar que se preocupa com todos, em tempos de crise e além

A União Europeia deve tomar medidas para:

  • Construa uma estratégia abrangente e baseada em solidariedade para prevenir infecções, salvar vidas e minimizar o impacto contínuo da pandemia. Isso deve incluir a garantia de que qualquer vacina ou tratamento desenvolvido para o COVID-19 seja acessível e acessível a todos, e que as regras de patentes que colocam os lucros da indústria farmacêutica antes da revisão da saúde pública.
  • Aumentar a conscientização e ajudar a combater todas as formas de desinformação, em particular as respostas racistas e sexistas à pandemia.
  • Garantir que medidas restritivas de emergência tenham o objetivo de combater apenas a pandemia, sejam limitadas no tempo e sejam compatíveis com o Estado de direito e os valores fundamentais da UE. Simultaneamente, o diálogo e o apoio à sociedade civil organizada devem ser mantidos.
  • Garantir que qualquer uso de tecnologias digitais, incluindo aplicativos e Inteligência Artificial, para monitorar a propagação do vírus e o comportamento dos seres humanos seja legal, ético e estritamente temporário. Empresas privadas não devem ter permissão para acessar esses dados para fins comerciais
  • Acabar com a era da austeridade na Europa e trabalhar em direção a uma estrutura macroeconômica que priorize o enfrentamento da desigualdade e invista no bem-estar humano e na preservação e proteção do ambiente natural que nos sustenta. Taxar empresas e indivíduos ricos para ajudar a pagar pelos custos dos pacotes de resgate e recuperação
  • Fortalecer os direitos dos trabalhadores, salvaguardar o emprego, apoiar a renda das pessoas e introduzir medidas para proteger aqueles deixados de fora do mercado de trabalho. As medidas devem abordar a situação na Europa e nos países parceiros da UE e devem considerar especialmente os profissionais de saúde, os prestadores de cuidados e os que trabalham precariamente, cuja maioria esmagadora são mulheres.
  • Apoiar os sistemas de saúde e as pessoas no Sul global e garantir serviços básicos, em particular assistência médica e acesso à água, a todos, independentemente do status de residente, raça, nacionalidade, idioma ou outros fatores
  • Avance rapidamente na transição para um futuro justo e sustentável, aumentando a ambição do Acordo Verde da Europa. Isso requer soluções transformacionais e investimento na Just Transition, incluindo edifícios de baixa energia e transporte público de qualidade, modelos de produção com baixo uso de recursos e um sistema alimentar robusto e sustentável
  • Desenvolver um sistema de governança mais resiliente, estruturado e permanente no nível da UE-27 para a gestão de crises na saúde, que tira lições da atual crise do COVID-19.

Assinado pelo CIDSE e várias outras organizações da sociedade civil. Veja a lista completa de signatários no anexo.

Foto por Tiros imortais desde Pexel

Compartilhe esse conteúdo nas mídias sociais