Evento: Estado das negociações sobre um Tratado das Nações Unidas sobre Empresas e Direitos Humanos - CIDSE
Crédito: CIDSE

Evento: Estado das negociações sobre um Tratado da ONU sobre Empresas e Direitos Humanos

Crédito: CIDSE

“A janela de oportunidade ainda está aberta?”
Almoço de política organizado pela Fundação para o Desenvolvimento e a Paz (sef :) com CIDSE. Bruxelas, 20 de novembro de 2017, 12h00 às 13h45.
Local: Representação do Estado da Renânia do Norte-Vestfália na UE

 

 

 


Contexto

De 23 a 27, em outubro, o 2017, um grupo de trabalho encomendado pelo Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas se reuniu em Genebra para negociar possíveis elementos de um tratado juridicamente vinculativo sobre negócios e direitos humanos. Pela primeira vez, parece haver uma janela de oportunidade para ir além dos meios voluntários, conforme estabelecido pelos Princípios Orientadores da ONU sobre Empresas e Direitos Humanos. Pode ser possível aumentar a responsabilidade das empresas pela proteção dos direitos humanos. Além disso, um Tratado da ONU vinculativo também poderia oferecer a perspectiva de melhorar o acesso a remédios eficazes para vítimas de violações de direitos humanos relacionadas a negócios.

O escopo de um tratado em potencial ainda não foi definido. No período que antecedeu a terceira sessão do grupo de trabalho intergovernamental, foram discutidas opiniões divergentes sobre a necessidade e a extensão de tal tratado. Até agora, a abordagem da "lei branda" parece ter sucesso limitado. A fraca transparência nas cadeias de suprimentos de empresas com operações internacionais e as reclamações sobre violações de direitos humanos e danos ao meio ambiente por essas empresas continuam. Por outro lado, foram levantadas preocupações de que um Tratado da ONU possa minar os compromissos voluntários assumidos nos últimos anos.

Inicialmente, a União Européia também havia sido uma das críticas das negociações, enquanto o Parlamento Europeu apoiava a negociação de um tratado vinculativo. Ao mesmo tempo, vários países europeus (França, Grã-Bretanha e Holanda) já progrediram na adoção de leis vinculativas para partes de ações comerciais (exigindo "planos de vigilância" e proibindo o trabalho infantil e a escravidão, por exemplo).

Após as negociações de outubro, gostaríamos de esclarecer o conteúdo das discussões:

  • Que tipos de elementos provavelmente serão incluídos no Tratado da ONU?
  • Como as vítimas de violações dos direitos humanos podem obter melhor acesso ao remédio?
  • Qual é a posição da União Europeia sobre os resultados da reunião de outubro?
  • Quais são as implicações práticas de um tratado juridicamente vinculativo para países e empresas?

 

Programa

Boas-vindas por Rainer Steffens, Diretor, Representação do Estado da Renânia do Norte-Vestfália na UE, Bruxelas e Michèle Roth, Diretor Executivo da Fundação para o Desenvolvimento e a Paz (sef :), Bonn

Discussão de entrada e mesa redonda:

  • Denise Auclair, Assessora Sênior, CIDSE
  • Mercedes García Pérez, Chefe da Divisão de Direitos Humanos, Serviço de Ação Externa da UE
  • Lola Sánchez Caldentey Deputada, Membro do Comitê de Desenvolvimento

Seguido de discussão com o público

Presidente: Patrick Leusch, Chefe de Assuntos Europeus, Deutsche Welle

Vejo programa em anexo.


Por favor, registre online para este evento antes do 15 Novembro 2017


Almoço da política do programa 20 Novembro 2017

Compartilhe esse conteúdo nas mídias sociais